Com Roland Garros adiado e Wimbledon cancelado devido à pandemia da COVID-19, ainda não se sabe o que poderá acontecer ao US Open. Para já, o quarto Grand Slam da temporada mantém as datas iniciais (24 de agosto a 13 de setembro), sendo que o diretor executivo da associação de tenistas dos Estados Unidos já veio dizer que não gostaria que a prova se realizasse sem público.

"É altamente improvável", referiu Mike Dowse quando questionado sobre a possibilidade do US Open decorrer sem espectadores.

"O tempo está do nosso lado, já que somos o último Grand Slam. Obviamente, a nossa ambição é que o torneio se dispute, mas agora o fator determinante é a saúde e o bem-estar dos jogadores, funcionários e público. Estabelecemos um prazo até junho para tomar essa decisão", disse.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.