A portuguesa Mariana Alves despediu-se hoje da arbitragem no último encontro das WTA Finals de Shenzhen, torneio reservado às oito melhores classificadas no ‘ranking' mundial, para se tornar supervisora do circuito WTA a tempo inteiro em 2020.

O anúncio da retirada da árbitra portuguesa foi feito após a final vencida pela australiana e líder da hierarquia mundial Ashleigh Barty, frente à ucraniana Elina Svitolina, até então campeã em título e número 8 do ‘ranking'.

Após mais de 15 anos dedicados à arbitragem internacional, Mariana Alves, um dos 31 árbitros Gold Badge, a categoria máxima da Federação Internacional de Ténis (ITF), vai manter-se em exclusividade na equipa de supervisores do circuito WTA a partir do próximo ano.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.