O torneio do circuito feminino de ténis em Hong Kong, programado para outubro, foi adiado indefinidamente, anunciaram hoje os organizadores, alegando "a situação atual" no território, palco de protestos há mais de três meses.

"À luz da situação atual, a Associação de Ténis de Hong Kong (HKTA) e a WTA [Associação de Ténis Feminino] tomaram a decisão de adiar o torneio", que deveria decorrer entre 05 a 13 de outubro, de acordo com um comunicado.

Citada pelo jornal South China Morning Post, a organização reconheceu não ser capaz de garantir "o bom funcionamento do torneio" neste momento.

Hong Kong, antiga colónia britânica, está a atravessar a sua pior crise política desde a sua transferência para as autoridades chinesas em 1997.

Nos últimos três meses, o território tem sido palco de manifestações pró-democracia quase diárias que muitas vezes têm degenerado em confrontos entre as forças policiais e ativistas mais radicais.

Na semana passada, o Governo anunciou a retirada formal das emendas à polémica lei da extradição que esteve na base da contestação social desde o início de junho.

Contudo, os manifestantes continuam a exigir que o Governo responda a quatro outras reivindicações: a libertação dos manifestantes detidos, que as ações dos protestos não sejam identificadas como motins, um inquérito independente à violência policial e, finalmente, a demissão da chefe de Governo e consequente eleição por sufrágio universal para este cargo e para o Conselho Legislativo, o parlamento de Hong Kong.

Na quinta-feira, a polícia proibiu a manifestação convocada para domingo pela Frente Cívica de Direitos Humanos (FCDH), que tem liderado os grandes protestos pró-democracia na antiga colónia britânica.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.