O alemão Alexander Zverev e a japonesa Naomi Osaka, campeã do US Open em 2018, asseguraram a qualificação para as meias-finais do segundo ‘major’ da época de ténis, enquanto o espanhol Pablo Carreno Busta surpreendeu o canadiano Denis Shapovalov.

Na primeira jornada dos quartos de final em Flushing Meadows, o germânico Alexander Zverev, número sete do ‘ranking’ ATP, foi o primeiro a entrar em jogo no Arthur Ashe Stadium e diante o igualmente jovem croata Borna Coric, também de 23 anos, não comprometeu as suas aspirações de seguir para as meias-finais, ao vencer o duelo por 1-6, 7-6 (7-5), 7-6 (7-1) e 6-3.

“Comecei talvez um bocadinho mais agressivo, porque, se tivesse jogado como tenho jogado, não era nível para uns quartos de final de um torneio do Grand Slam. Tinha de começar a jogar melhor e fui também um pouco mais consistente. O meu serviço melhorou e pensei para mim mesmo, quando estava por baixo no 6-1, 4-2, que não tinha nada a perder”, avançou, após o triunfo conquistado em três horas e 25 minutos.

Ultrapassado Borna Coric, que no confronto direto liderava por 3-1, o alemão e quinto cabeça de série garantiu a presença inédita no lote dos quatro semifinalistas de Nova Iorque e terá como próximo adversário Pablo Carreno Busta.

O espanhol natural de Gijon, número 27 da hierarquia mundial, travou uma dura e longa batalha com o jovem canadiano Denis Shapovalov, que aos 21 anos figura no 17.º posto do ‘ranking’ ATP, para levar a melhor pelos parciais de 3-6, 7-6 (7-5), 7-6 (7-4), 0-6 e 6-3, em quatro horas e oito minutos.

“Estou destruído, mas muito feliz. É incrível estar de volta às meias-finais. Penso que os últimos meses, durante a quarentena, foram difíceis para todos. Trabalhei arduamente com o meu treinador. E normalmente quando trabalhas no duro, os resultados aparecem. Provavelmente não será no primeiro torneio, mas estou muito feliz por estar nas meias-finais”, confessou Carreno Busta, semifinalista do US Open em 2017.

Na prova feminina, a japonesa Naomi Osaka, vencedora do Open da Austrália em 2019, exibiu-se ao seu melhor nível e, graças a 24 ‘winners’, sete ases e apenas oito erros não forçados, eliminou a norte-americana Shelby Rogers, pelos parciais de 6-3 e 6-4, ao cabo de uma hora e 20 minutos.

No regresso às meias-finais em Flushing Meadows, a nipónica e número nove mundial, de 22 anos, vai defrontar a também norte-americana Jennifer Brady, que superou a cazaque Yulia Putintseva, por 6-3 e 6-2, e vai marcar presença, pela primeira vez na carreira, nas meias-finais do US Open.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.