A tenista americana Serena Williams foi multada neste domingo em 17.000 dólares ((14.710,67 euros ao câmbio de hoje) pela Associação de Ténis dos Estados unidos pelo polémico comportamento na derrota de sábado para a japonesa Naomi Osaka, na final do US Open.

Durante a partida, Serena recebeu uma primeira advertência por receber ordens do treinador, uma segunda por partir a raquete e uma terceira por chamar de "mentiroso" e "ladrão" ao juiz da partida, o português Carlos Ramos.

A declaração de Serena, captada pelos microfones na quadra, obrigou o árbitro a puni-la com a perda de um jogo, o que colocou Osaka, que já tinha vencido o primeiro set por 6-2, com vantagem de 5-3 no segundo set.

Indignada, Serena pediu a presença do supervisor do torneio, o que interrompeu a partida por vários minutos. "Não é justo, não é certo. Isto é incrível", reclamava a americana, em lágrimas.

Após o reinício da partida, Serena venceu o jogo de serviço, mas Osaka fez o mesmo e fechou o set em 6-4, garantindo a vitória numa partida em que foi muito superior à veterana rival.

Osaka venceu o encontro em dois ‘sets’, pelos parciais de 6-2 e 6-4, conquistando, aos 20 anos, o primeiro título do Grand Slam frente a veterana Williams, de 36 anos, que se tinha imposto em Nova Iorque (1999, 2002, 2008, 2012, 2013 e 2014).

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.