Na Vale do Lobo Tennis Academy, em Loulé, João Sousa, de 31 anos, bateu o jovem Miguel Gomes, jogador do Clube de Ténis de Alcobaça, de apenas 17 anos, em apenas dois ‘sets’, por 6-3 e 6-2.

“Foi uma boa vitória depois de tanto tempo sem jogar. Nem sempre é fácil de lidar com essa pressão miudinha de ter de jogar bem, sabendo que é um jovem com muito talento, que vem motivado para jogar comigo, e, obviamente, depois de tanto tempo parado, devido a esta pandemia, lidar com essa situação não foi fácil”, começou por reconhecer.

Apesar de ter sido surpreendido inicialmente pelo adversário, que chegou a liderar o primeiro ‘set’ por 3-1, o número um português e 66.º colocado do ‘ranking’ ATP impôs o seu ritmo de jogo e assumiu, assim, a liderança do Grupo I, juntamente com Nuno Borges.

“O Miguel entrou muito bem no encontro, com pancadas muito fortes desde o princípio, a dominar, e eu depois consegui impor um bocadinho o meu jogo, tirá-lo da sua zona de conforto e acabei por fazer um bom encontro e vencer”, explicou.

Confessando ter-se sentido, no segundo ‘set’, “sempre confortável e por cima”, fazendo um “'break' logo ao princípio’, que deu alguma tranquilidade na hora de servir”, João Sousa disse que os triunfos não são o objetivo principal.

“O objetivo prioritário é competir, sentir-me um bocadinho jogador, depois de tanto tempo parado. O objetivo de vencer o torneio é um pouco secundário. A verdade é que é ótimo jogar em Portugal e no Algarve, onde nunca tinha jogado, e é mais uma ótima experiência. O clube é fantástico e a FPT fez um enorme esforço para que possamos, em segurança, competir”, elogiou.

Tal como o minhoto, que na sexta-feira defronta Nuno Borges para definir o semifinalista do Grupo I, Pedro Sousa também confirmou o seu favoritismo diante de Pedro Araújo, ao vencer o encontro do Grupo II pelos parciais de 6-2 e 6-4, em uma hora e 13 minutos.

“Sabia que o Pedro já tinha jogado o torneio de Oeiras, tinha feito muitos encontros aqui e estava com confiança. Eu não jogo muito em piso rápido, já não competia desde o início da quarentena e foi bom, porque entrei muito bem no encontro. No geral estou contente com este primeiro encontro”, assegurou o lisboeta (110.º ATP), que na segunda ronda enfrenta Luís Faria.

Tarefa mais complicada teve Gastão Elias para levar de vencida o também jovem Tiago Torres, de 17 anos, por 7-6 (7-1) e 7-5, ao cabo de duas horas e cinco minutos, após anular dois ‘set points’ na primeira partida, quando o marcador registava 5-6.

Depois da estreia bem sucedida naquele que está a ser o seu segundo torneio da temporada, após a paragem primeiro por lesão nas costas e depois devido ao novo coronavírus, o número cinco nacional e 532 da hierarquia mundial vai discutir com João Monteiro a vitória no Grupo IV e qualificação para as meias-finais do evento que distribui 15 mil euros em prémios monetários.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.