Nuno Borges e Inês Murta conquistaram hoje o título do terceiro torneio do Circuito Sénior da Federação Portuguesa de Ténis (FPT), que decorreu no Tennis Club da Figueira da Foz, ao baterem Duarte Vale e Francisca Jorge, respetivamente.

Numa final masculina resolvida em uma hora e sete minutos, o tenista da Maia, de 23 anos, superou Vale, de 21 anos, em duas partidas, pelos parciais de 6-1 e 6-1, para arrecadar o segundo título do Circuito Sénior da FPT, depois do triunfo na Vale do Lobo Tennis Academy, em Loulé.

“O resultado é um pouco enganador, houve alguns momentos em que o resultado podia ter caído para o lado dele. Felizmente joguei bem nos momentos decisivos. Acho que entrámos os dois um bocadinho nervosos, mas eu senti que aproveitei melhor as oportunidades e consegui, dentro desse nervosismo, jogar um pouco melhor”, explicou Borges, que embolsou mais um prémio de 1.500 euros.

Concluída a terceira etapa, o Circuito Sénior da FPT culminará com a realização do Campeonato Nacional Absoluto, que arrancou hoje com o ‘qualifying’ no Complexo Desportivo do Monte Aventino, no Porto, onde o maiato é um dos principais favoritos à vitória.

“Sinto-me bem e confiante. Estes torneios trouxeram-me confiança e espero poder continuar a jogar bem no próximo torneio”, admitiu.

Tal como Nuno Borges, Inês Murta sagrou-se campeã pela segunda vez do Circuito Sénior da FPG, ao derrotar Francisca Jorge em três renhidos ‘sets’, pelos parciais de 7-5, 4-6 e 6-1.

Naquela que foi a terceira final consecutiva disputada pelas duas, a algarvia e campeã da etapa disputada no Lisboa Racket Centre precisou de duas horas e 31 minutos para levar a melhor diante a tricampeã nacional absoluta e vencedora do primeiro torneio do Circuito Sénior da FPT, em Loulé.

“É um bocado pesado jogar três finais com ela. Sei que é um encontro sempre duro, já nos conhecemos bastante bem, desde há muitos anos, jogamos juntas na Fed Cup, e já estava à espera de um encontro pesado. Mas estou muito satisfeita com a maneira como lidei com os nervos e lutei do princípio ao fim, independentemente do resultado”, confessou.

Depois de “dois primeiros ‘sets’ muito equilibrados, com pouca diferença de jogos e vantagens, e bastante disputados”, Murta acredita que no terceiro ‘set’ a adversária, “se calhar, começou a acusar um bocadinho o cansaço” e, “apesar de estar igualmente bastante cansada”, “tinha muita confiança" no seu "jogo mental.”

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.