O austríaco Dominic Thiem, número três mundial, vai disputar a final do US Open em ténis, que termina no domingo em Flushing Meadows, com o alemão e estreante em finais do Grand Slam, Alexander Zeverev.

Naquela que foi a primeira meia-final discutida no Arthur Ashe Stadium, o jovem germânico, de 23 anos, foi protagonista de uma longa batalha e uma grande reviravolta no marcador para derrotar o espanhol Pablo Carreño Busta em cinco ‘sets’, pelos parciais de 3-6, 2-6, 6-3, 6-4 e 6-3, ao cabo de três horas e 23 minutos.

Depois de ter cedido as duas primeiras partidas, Alexander Zverev, que figura no sétimo lugar do ‘ranking’ mundial, disparou 24 ases, 71 ‘winners’ e 57 erros não forçados para recuperar, pela primeira vez, de uma desvantagem de dois ‘sets’ e assegurar a passagem inédita à final em Nova Iorque.

“Estou na minha primeira final de um torneio do Grand Slam e é só isso que interessa. Sabia que tinha de jogar melhor. Nunca tinha recuperado de dois ‘sets’ a zero. Foi a primeira vez na minha carreira. Mas estou contente por o ter feito nesta altura, na meia-final de um ‘major’. Não poderia estar mais feliz, mas ainda há mais uma etapa para mim”, lembrou Zverev.

Na final, o detentor de 11 títulos ATP, entre os quais as Nitto ATP Finals de 2018 e três Masters 1.000, Madrid, Canadá e Roma, vai encontrar o austríaco Dominic Thiem, que bateu o russo Daniil Medvedev, vice-campeão em 2019, em três renhidos ‘sets’, por 6-2, 7-6 (9-7) e 7-6 (7-5), em duas horas e 50 minutos.

O número três mundial e segundo cabeça de série superou uma lesão no pé esquerdo, um ‘set point’ no segundo e terceiros ‘sets’ e o contra-ataque de Medvedev, favorito ao triunfo final em Nova Iorque, para assegurar a estreia na final do US Open.

“Adoro estes grandes encontros. É para defrontar os melhores jogadores do mundo que trabalho arduamente em casa e todos os dias. Depois do primeiro ‘set’, jogámos muito bom ténis. Podia ter ficado facilmente em desvantagem por dois ‘sets’ a um. Estou muito feliz por ter ganhado. Foi uma grande meia-final”, destacou o austríaco.

Consumado o triunfo, Dominic Thiem, de 27 anos, tornou-se no primeiro tenista austríaco a atingir a final do ‘major’ norte-americano, segunda consecutiva no Grand Slam, após ter sido finalista do Open da Austrália em janeiro.

Mas ao contrário das três finais anteriores, em Roland Garros, em 2018 e 2019, e Open da Austrália, no início da época, Thiem não vai defrontar nenhum dos elementos do ‘Big Three’, Roger Federer, Rafael Nadal e Novak Djokovic. Pela frente terá o amigo Alexander Zverev, que no confronto direto está em desvantagem (2-7).

“É tudo ou nada. Será um encontro completamente aberto. Estou realmente ansioso por isso. Temos uma grande amizade e rivalidade. É incrível que nos vamos defrontar numa final do Grand Slam”, frisou Dominic Thiem.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.