O programa Náutica nas Escolas, lançado há seis anos pela Câmara de Viana do Castelo, foi a "semente" que fez "germinar" um compromisso ambiental dos alunos do concelho, mais do que incentivar a prática de desportos ligados ao mar.

"Ao promovermos a participação dos alunos dos agrupamentos escolares neste projeto, estamos a criar um compromisso ambiental muito mais forte com eles. De certa forma, passam a sentir-se responsáveis, pela sustentabilidade do rio e do mar. É um trabalho que vai dar frutos. Estamos a construir uma cidadania muito mais atenta aos problemas ambientais", afirmou hoje à Lusa o presidente da Câmara de Viana do Castelo, José Maria Costa.

Iniciado em 2013 com cerca de 370 alunos de 19 turmas, de seis escolas de Viana do Castelo, o programa "Náutica nas Escolas" envolve, no ano letivo que agora começou, nove escolas, com 99 turmas e um universo de 1.909 estudantes que praticam atividades náuticas semanais incluídas no plano curricular.

As aulas, destinadas ao ensino básico e secundário do concelho, foram inseridas, por decisão dos agrupamentos de escolas, através da prática semanal de 90 minutos de surf, canoagem, remo ou vela, no plano curricular da disciplina de educação física.

Este ano letivo, pela primeira vez, o programa é alargado a uma escola privada e outra do ensino profissional.

"Há um trabalho conjunto, com as escolas, que estou certo que pode evoluir. Por causa desta oferta educativa diferenciadora, muitas escolas já lançaram projetos educativos anuais, com o mar como tema de fundo. O projeto tem induzido que a sustentabilidade dos oceanos e a economia do mar seja um tema muito vibrante e discutido nos nossos agrupamentos escolares. É muito importante para a cidadania que estamos a construir", sustentou.

Os "frutos" que Viana do Castelo "tem vindo a colher" passam ainda pelo "desenvolvimento da fileira de desportos náuticos".

"Fruto deste trabalho há um aumento do número atletas nos clubes de vela, remo, surf e canoagem e a repercussão desse aumento faz-se sentir nos resultados desportivos. Cerca de 40 % dos campeões nacionais são jovens de Viana do Castelo, e já começamos a ter campeões europeus e mundiais nessas modalidades", especificou.

José Maria Costa garantiu que o projeto não foi pensado para "gerar campeões", mas antes para "democratizar" o acesso dos alunos aos desportos náuticos.

"É uma aposta na escola pública, para que a escola pública tenha as melhores condições para os nossos alunos", observou, ressalvando que essa "aposta aproximou os alunos do mar e do rio, incentivando ao respeito pela natureza e biodiversidade".

O investimento anual ronda os 300 mil euros, para garantir o transporte dos alunos, a aquisição de equipamentos individuais e embarcações e a contratação de técnicos que acompanhem os alunos.

Em 2017, o projeto foi apontado pelo "Erasmus+Sport", um programa da União Europeia (UE) para a educação, formação e juventude, como "exemplo de boas práticas de políticas de incentivo aos desportos náuticos".

A iniciativa foi ainda distinguida com vários prémios e menções, entre eles o de "Melhor Município para Viver", Categoria Economia em 2013, o Prémio Desportivo 2014 "Personalidade do Ano" da Gala de Desporto e, já em 2015, o Prémio Athletice Mare 2015 dos Prémios Excellens Mare da PwC e o Prémio de Boas Práticas "Maia Cidade Europeia do Desporto".

As aulas são desenvolvidas nos centros náuticos de remo e vela, na margem direita do rio Lima, e de canoagem, na margem esquerda, construídos pela autarquia num investimento superior a sete milhões de euros, e no Centro de Alto Rendimento de Surf, no Cabedelo.

Àquelas modalidades junta-se a natação, que a autarquia decidiu inserir em 2014 no plano curricular dos alunos do primeiro ciclo. Este ano envolve 36 escolas, 80 turmas e 1.529 alunos.

Há ainda a patinagem, iniciada em 2015 nos jardins de infância. Este ano conta com a participação de 320 crianças, de 18 turmas de 15 infantários.

O projeto Atletismo nas Escolas, dinamizado pela antiga campeã mundial de maratona Manuela Machado junto do primeiro e segundo anos do primeiro ciclo de ensino básico, terá 1.116 alunos.

Ainda este ano, o município quer avançar, no agrupamento de escolas de Barroselas, com o projeto-piloto da prática do ciclismo, orientado pelo ex-ciclista Rui Sousa, natural daquela freguesia de Viana do Castelo.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.