A vantagem de avaliar comportamentos e não pessoas permite-nos ir avaliando numa perspectiva de observar as coisas que vão acontecendo e não dar sempre nada por ganho ou perdido, como fossem rótulos ou perfis condicionados. Ao aplicar esta tese a José Mourinho, que já venceu o suficiente para não ter de convencer ou justificar nada a ninguém quanto à sua qualidade e conhecimento enquanto treinador, confrontamo-nos hoje com a dúvida se Mourinho perdeu alguma qualidade, se o contexto em si é que se alterou, se são os jogadores que perderam qualidade ou mais complexo ainda, o que José Mourinho faz ou deixou de fazer teve impacto pela negativo para atingir estes desempenhos individuais e colectivos?

Vamos lendo várias teorias e teses. Que na terceira época é que José Mourinho ‘cai’. O Inter de Milão que se acuse, pois atingiu uma das suas páginas de glórias precisamente na terceira época. Então será porquê? Falta de qualidade? Perdeu de Junho para Agosto ou Setembro? Se tirarmos a aquisição do defesa-esquerdo, meia à pressa, o Chelsea hoje apresenta bastante qualidade. Mesmo com um Falcão que não vale 10 % do que valeu no Porto ou no Atlético de Madrid. Ou sem garantir o tal defesa central que prepare a saída com tempo de Terry.

Considero que a questão é mais complexa. Se por um lado, tudo pode alterar de uns jogos para os outros, com uma vitória com qualidade ou até com uma exibição a roçar a perfeição, por outro lado, os estados de confiança e sintonia entre todos os pares é bem mais difícil de atingir e pode demorar mais tempo a conseguir. Os jogadores demonstram estar com ele, mas não respondem às suas exigências? Até poderia acreditar se os jogadores, por alguma razão, não tivessem todas as competências para realizar aquilo que é solicitado pelo treinador português.

Se os jogadores demonstraram até Junho conseguirem realizar aquilo que era solicitado e hoje demonstram em pequenos e grandes detalhes que não respondem e não accionam as tais respostas, o que pensar? Provavelmente, o compromisso é menor. Subjectividade? Não me parece, os resultados ou a falta deles, é um indicador essencial. A falta de resultados cria a desconfiança ou o compromisso e a falta do mesmo potenciam maus resultados? As duas hipóteses, mas algumas coisas podem ser uma certeza para os que observam os jogos do Chelsea: nem Mourinho perdeu qualidade nem o Chelsea é uma má equipa apesar dos resultados negativos. A combinação e os processos de grupo actualmente estão (bastante) desalinhados, mas o principal desafio de Mourinho para já é descobrir qual o ‘botão’ mais eficiente para acelerar e voltar a colocar os jogadores a fazer o que Mourinho decide e do modo como é para realizar.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.